Cao-Maph-Urb mobiliza autoridades do Amazonas na Ação Nacional em Defesa do Patrimônio Histórico

DSC 0013

O Ministério Público do Estado do Amazonas, por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Especializadas na Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e da Ordem Urbanística (Cao-Maph-Urb), deu início hoje, 5 de outubro de 2018, no Amazonas, à Ação Nacional em Defesa do Patrimônio Histórico. O movimento é liderado por promotorias de Justiça de todo o Brasil e foi deliberado durante a segunda reunião ordinária da Comissão Permanente do Meio Ambiente, Habitação, Urbanismo e Patrimônio Cultural (Copema/GNDH/CNPG), nos dias 4 a 6 de setembro de 2018, em razão do incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro.

“A perda inestimável resultante do incêndio que destruiu o Museu Nacional foi o que nos levou a realizar essa ação nacional, que visa construir, em conjunto com os órgãos e instituições ligados ao assunto, ações e estratégias que evitem a recorrência de fatos semelhantes ao registrado no Rio de Janeiro”, declarou o coordenador do Cao-Maph-Urb, Promotor de Justiça Paulo Stélio.

DSC 0034

A primeira reunião da Ação Nacional em Defesa do Patrimônio Histórico ocorreu na sede da Procuradoria-Geral de Justiça do Estado do Amazonas, com a presença de representantes da Secretaria de Estado da Cultura, Secretaria de Estado da Administração, Manauscult, Corpo de Bombeiros, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea).

Durante o evento, foi deliberado que cada órgão apresentaria um diagnóstico dos prédios e acervos históricos sob sua responsabilidade, com identificação das situações de maior vulnerabilidade e respectivas propostas de ação, na segunda reunião, a ser realizada no próximo dia 17 de outubro. Nessa reunião, serão definidas as ações e estratégias prioritárias para a preservação do patrimônio histórico amazonense, bem como os locais de visita do grupo para verificação de risco, inicialmente, quanto a incêndios, mas, eventualmente, também quanto à ocorrência de outros sinistros.

Dentre os problemas apontados, destacam-se a falta de regulamentação do Corpo de Bombeiros apropriada à realidade local, a necessidade de reativação e instalação de hidrantes no centro histórico da cidade, o risco de desabamento gerado pela ocupação irregular e/ou abandono de imóveis históricos ou localizados junto ao sítio histórico.


Últimas Notícias
MP-AM e OAB/AM promovem campanha de Ação de Natal

Notícias
    O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) e a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional...
PGJ prestigia diplomação dos eleitos em solenidade do TRE/AM

Notícias
  Os eleitos nas Eleições Gerais 2018 foram diplomados pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas em sessão...
Promotor de Justiça recebe título de Cidadão Airãoense

Notícias
    No último dia 14 de dezembro, o Promotor de Justiça João Ribeiro Guimarães Netto, foi homenageado...
MP-AM e MPF participam da ação “Jornada da Saúde: Vacinar é proteger’’

Notícias
  O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), representado pela Promotora de Justiça Claudia Câmara e...