Advogado vereador tem inscrição da OAB suspensa a pedido do MP-AM

Câmara Municipal de Coari

Atendendo a pedido do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), o vereador e advogado Aldervan Souza Cordovil, da Câmara Municipal de Coari, teve sua inscrição na Ordem dos Advogados no Brasil (OAB-AM) suspensa por determinação da Justiça. O titular da 1ª Promotoria de Justiça de Coari, Promotor de Justiça Weslei Machado, requereu a aplicação de uma medida cautelar diversa da prisão, qual seja, a suspensão do direito de advogar, em razão do uso da profissão de advogado como meio para a prática de crimes.

Aldervan Souza Cordovil, conhecido em Coari como Dr. Adeva, foi denunciado pelo MP-AM por diversos crimes. Nos autos do Processo nº 797-44.2017, o promotor de Justiça Weslei Machado teve deferido o pedido de envio de cópia dos autos à OAB-AM, para apuração de desvio ético-profissional no exercício da advocacia. Entretanto, como tal medida não possui a celeridade necessária para resguardar a ordem pública e garantir a aplicação da lei penal e a instrução criminal, foi necessária outra ação.

Na denúncia, o Promotor de Justiça aponta o risco de cometimento de novos crimes, já que Aldervan Souza Cordovil continuava atuando normalmente como advogado, mesmo respondendo a quatro processos criminais por apropriação indébita agravada pelo recebimento de valores em razão da profissão de advogado e estelionato. “Somente uma medida cautelar de suspensão do exercício da advocacia terá a aptidão de frear as práticas criminosas do réu”, justificou o Promotor de Justiça a denúncia.

Aldervan Souza Cordovil é réu nos processos nº 1294-58.2017, n º 204-15.2017, nº 302-97.2017, nº 416-36.2017, nº 797-44.2017 e nº 1442-11.2013. Em todos esses processos, o vereador usou a sua profissão de advogado para a prática dos seguintes crimes: estelionato, apropriação indébita, coação no curso do processo.

Suspensão do cargo

Em razão dos diversos procedimentos criminais a que responde o vereador e advogado Aldervan Souza Cordovil, a Justiça determinou o seu afastamento do cargo legislativo que exerce na Câmara Municipal de Coari. Conforme a decisão, o fato de responder a diversos processos criminais caracteriza falta de decoro parlamentar, compromete a imagem da casa legislativa, além de configurar a prática de improbidade administrativa.

Conforme a decisão “a manutenção do requerido nas funções de edil pode comprometer a colheita de elementos probatórios notadamente de natureza oral tanto nas ações criminais em tramitação contra sua pessoa, quanto no processo ético-parlamentar a ser instaurado no seio da Câmara Municipal de Coari-AM”. O Juiz Fábio Lopes alfaia deixou a cargo da Câmara Municipal deliberar sobre a manutenção do pagamento dos seus subsídios.


Últimas Notícias
Servidores demitidos em período eleitoral serão indenizados pelo Município de Maués

Notícias
Em Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público do Estado do Amazonas, o Município de Maués foi condenado...
MP-AM vai à Justiça pela renovação e manutenção dos veículos de transporte coletivo de Manaus

Notícias
A 81ª Promotoria de Justiça Especializada na Proteção e Defesa do Consumidor (Prodecon) ajuizou na última...
MP-AM denuncia estado falimentar da Fucapi e vai à Justiça para impedir novas matrículas

Notícias
O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), por meio da 47ª Promotoria de Justiça Especializada em...
Sai a lista de inscritos para Remoção à 2ª PJ de Parintins

Notícias
O Conselho Superior do Ministério Público do Estado do Amazonas (CSMP) divulgou hoje, 16 de janeiro de 2018, no...